Blog Em Dia

com Racib Idaló


11/10/2019

Remanescentes do PFL repetem estratégia da década de 1990, e usam 'matéria encomendada' em revista




Realmente vivemos tempos sombrios. A volta do que há de pior na política e conceitos vem dominando o país, e claro, Uberaba. Se temos hoje no poder o mesmo grupo político que dominou, e atrasou a cidade na década de 1990 (entenda-se Paulo Parado Piau, Luiz Neto, Marcos Montes e cia), as praticas também continuam as mesmas.
Cabides de empregos, compras pra lá de suspeitas, cidade carregada de desempregados, desenvolvimento nulo... E por outro lado, a mesma forma de se manter no poder: marketing falso de desenvolvimento (basta ver o número de desempregados) e um governo fisiológico, de encaixes de apadrinhados políticos e de privilégios para poucos.
E só para exemplificar como é a mesma coisa de quando o antigo PFL administrava a cidade, veja essa de hoje. Em 1995, quando Luiz Neto era prefeito, o rapaz pagou um bom dinheiro para a Revista Exame publicar que Uberaba era a melhor cidade para se investir no país. Lembram-se? E o que se viu depois? Cidade quebrada por anos, sem empregos, mesmo grupo político no poder até 2004, e apenas uma empresa (Black & Decker) veio para cidade em 16 anos do PFL na Prefeitura de Uberaba.
E o que mudou agora, com a mesma turma no poder: Nada, apenas uma repetição. E veja como o exemplo claro de hoje: Paulo Parado Piau e Luiz Neto voltaram a “acionarem” a Revista Exame, com o tal marketing falso... E vocês acham que foi de graça tal publicação? E claro, repercutido a mando de Piau, na chamada “imprensa” de Uberaba como se fosse verdade... Quem mora aqui que sabe a verdade...
Ou você acha que foi porque a revista gostou dos chifres dos nossos bois zebu? Tudo como dantes, no castelo de Abrantes...