Blog Em Dia

com Racib Idaló


30/09/2019

Condenação de ex-subordinados de Piau, com exceção do prefeito, levanta suspeita de 'desigualdade eletiva'




Imagina se Uberaba tivesse um vereador sério... O grito seria a nível estadual, já que envolve o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG). Pode ter passado despercebido para a maioria, mas quem viu a notícia veiculada pela chamada “imprensa” de Uberaba na semana passada, acreditou que o grande vilão da história é o ex-deputado e ex-secretário de Saúde Paulo Parado Piau, Fahim Sawan.
Na notícia, diz que o ex-secretário, mais João Lisita Neto, Rômulo Batista Cassiano, Ludmila Borges de Castro Prata Carvalho e Marisa de Oliveira Freitas Reis foram condenados pelo citado tribunal a devolverem quase R$1 milhão e 486 mil aos cofres públicos. Os cinco ainda foram condenados a pagar multa no valor de R$285 mil. A decisão foi tomada em análise a relatório produzido por inspeção que investigou a compra de insumos e produtos médico-hospitalares, com dispensa de licitação, pela Secretaria Municipal de Saúde, de janeiro de 2013 a dezembro de 2014.
Até ai, nada a contestar, mas... Quemera o agente político, no caso, o prefeito da cidade naqueles anos 2013/2014? Sim, Piau. Então o chefe deles todos não é nem citado na condenação do TCE-MG? Entendeu como funcionam, ou não, as coisas? Como sempre, o político eleito pelo voto sai ileso, mesmo sendo o responsável por nomear todos os citados. No mínimo, muito estranho...
Pensa se tem jeito?