Blog Em Dia

com Racib Idaló


28-10-2019

'A hora do abafa'... Aluno agride professora e escola 'esconde' caso da Polícia Militar e Conselho Tutelar


Um caso absurdo aconteceu na Escola Estadual Nossa Senhora da Abadia, mas não foi “registrado” e nem, claro, “divulgado”. Uma professora de Ciências da oitava série do ensino fundamental foi agredida fisicamente por um aluno de 14 anos. E o caso tem vários fatos absurdos.

Primeiro, que a direção da citada escola sequer fez ocorrência policial ou chamou o Conselho Tutelar. Apenas expulsou o aluno, o que é muito pouco para um caso tão grave. A professora teria flagrado o citado aluno levando droga para escola, no caso loló para alunas. E este teria sido o motivo da agressão. O aluno era estudante do período vespertino da escola.

E mais, a professora agredida, que é designada, foi pressionada pela direção da escola a não denunciar o caso, nem a polícia, e nem ao Conselho Tutelar.

Agora a tentativa de abafar o caso tem motivos óbvios por trás. Primeiro que seria para não atingir a “imagem” da escola. E não toa... Não se pode-se esquecer que a atual superintendente regional de Ensino, Marilda Ribeiro, assim como a coordenadora do SindUte na cidade, Maria Helena Gabriel, são oriundas da Escola da Abadia. Entendeu né?

Mas o problema é que agora as outras professoras estão temendo novos casos justamente pela falta de punição adequada ao aluno, no caso citado. Para os professores, tal punição, de expulsão, não serve, até porque para alunos dessa idade, chegam usar isso como "vantagem".

Caso grave e merece uma apuração da Polícia, Conselho Tutelar e Ministério Público.